Eletricitários reprovam proposta da Energisa

Publicado em 29.12.2020

Por maioria,  os eletricitários reprovaram a contraproposta da Energisa para o Acordo Coletivo 2020/2021. Na assembleia realizada na manhã de ontem, a diretoria do Sindeletric apresentou de forma detalhada a proposta da empresa que prevê que os trabalhadores recebam o reajuste salarial de forma parcelada. A proposta da empresa é realmente vergonhosa. Não podemos admitir que a Energisa, mesmo tendo lucro expressivo em 2020, repasse para os trabalhadores a idéia de um prejuízo que a empresa não teve em momento algum, disse o presidente do Sindeletric, José Carlos dos Anjos.A diretoria do Sindeletric continua aberta as novas negociações e aguarda uma nova proposta por parte da empresa.

Entenda a proposta apresentada pela empresa.

A Energisa apresentou proposta para reajustar os salários dos trabalhadores e as cláusulas econômicas parceladas da seguinte forma: reajuste correspondente à 100% (cem por cento) do INPC/IBGE acumulado no período de 01/11/2019 a 31/10/2020 (4,77%), onde 50% (cinquenta por cento) do valor do INPC(2,385%) será aplicado na folha de janeiro de 2021 de forma retroativa a dezembro de 2020, cujas diferenças referentes ao mês de dezembro de 2020 serão quitadas na folha de janeiro de 2021, e os outros 50% (cinquenta por cento) do valor do INPC(2,385%) serão aplicados na folha de Janeiro de 2021, de forma não retroativa e não cumulativa. Da mesmo forma, seriam reajustas as demais cláusulas econômicas. Além disso, a empresa quer que o percentual de reajuste a ser aplicado para os empregados ocupantes dos cargos de gerente, consultores, assessores e coordenadores, fique passível de ser negociado diretamente com a empresa. Em relação ao plano de saúde dos empregados, a empresa propôs implantar, a partir de 2021, a nova regra de custeio do plano de saúde, que passará a ser por faixa etária.